Premonição – (Roberto Menescal e Paulo César Feital)

Quando o trem de ferro

Carregou meu pai

E o tuiuiu cantou no matão

O lamento triste

Da dor da intuição

Um caboclo tem premonição

Lembra do gemido da madeira do cais

Meu irmão com olhos de rã

Minha mãe chorando, inundando o Paraguai

Com a barriga cheia de irmã

Em pé no vagão, contra a luz do sol das seis

Pequenino ficava o pai

Na composição, misturou-se ao manganês

Foi para não retornar jamais

Era fevereiro, eu trabalhava o chão

Quando vi mamãe desmaiar

O meu pai ficara na ponta de um jacão,

Indigente em Corumbá

Hoje quando ouço

O trem passar às seis

E o tuiuiu cantar no trigal

Canto o choro triste

De dor e compaixão

Dos caboclos do Pantanal

COMPARTILHE:
Todos os direitos reservados