Magia – (Roberto Menescal e Costa Netto)

No veloz cotidiano

Um momento escapuliu

Uma pausa no trabalho

Por que tanta ansiedade

Ritmos quebrados de um bem

Íntimo que a alma contém

No repouso do operário

No silêncio do escritor

Alça vôo o imaginário

Em que campos aterrissa?

Quem dormiu demais de manhã

Por ter despertado uma fantasia?

Se você se agasalha

E de repente o tempo vira

Quem que foi subverter o dia?

Se um sorriso de criança

Faz você se inclinar

Destoar da estranha dança

Da apatia da rotina

Ritmos são pra interromper

Toda vida pode conter magia

COMPARTILHE:
Todos os direitos reservados