DOWNLOAD RIDER

 

“Vi Leila Pinheiro cantar pela primeira vez no Festival dos Festivais, promovido pela Rede Globo, interpretando a música “Verde” (Eduardo Gudin / Costa Netto), em 1985. Fiquei encantado com sua voz e carisma”, lembra Menescal. Na época o compositor era o diretor artístico da Polygran. “A paixão foi imediata e convidei Leila para ser artista da gravadora”, conta.

Foi o início não só de uma carreira de sucesso como de uma importante “amizade musical”.  “Nós aos poucos fomos descobrindo que tínhamos uma grande afinidade musical”, relembra Leila Pinheiro.

Em 1989, Menescal convidou a cantora para gravar um disco comemorativo dos 30 anos da Bossa Nova, lançado inicialmente no mercado japonês. Produzido e arranjado pelo próprio Menescal, um dos principais criadores do estilo, o disco “Bênção, Bossa Nova” é uma coletânea das mais representativas canções do estilo e foi lançado no Brasil com grande sucesso, atingindo, um ano depois, a marca de 200 mil cópias vendidas – nunca alcançada por esse gênero de música no país.

De lá pra cá Leila e Menescal estiveram de uma forma ou de outra ligados. “Sempre acompanhei a carreira de Leila, mesmo de longe”, afirma Menescal, que participou do projeto da cantora, “Mais Coisas do Brasil”, lançado em CD e DVD, acompanhando Leila na guitarra em “Amor nas estrelas” (Roberto de Carvalo /Fausto Nilo). A cantora também prestigia o trabalho de Menescal, como se vê em duas faixas do DVD comemorativo “Roberto Menescal – 40 anos cheios de Bossa” e no próximo DVD que será lançado no segundo semestre de 2007, em homenagem aos 70 anos do compositor.

Mais de 12 anos depois do último show juntos, Leila e Menescal se unem no palco novamente em um espetáculo de guitarra e piano que está sendo apresentado no Brasil inteiro com enorme sucesso de público e mídia.

O show “Roberto Menescal e Leila Pinheiro” reúne as músicas mais representativas da carreira dos artistas. Menescal e Leila interpretam juntos vários estilos incluindo não só a bossa nova sucesso dos dois como também algumas  músicas de Paula Toller e Herbert Vianna, “Nara por mim”, “Chão de esmeraldas” (Chico Buarque e Hermínio B. de Carvalho), “Piano na mangueira” (Chico Buarque e Tom Jobim), além “Body and Soul, dentre outras. No momento solo, Leila apresenta uma pequena amostra de seu show “Voz e Piano”, cantando repertório inédito em sua voz, de João Donato e Lysias Ênio, “E muito mais” a Marcelo Yuka “A minha alma”, passando por Vander Lee “Onde Deus possa me ouvir” e Francis Hime “Brasil lua cheia”, em parceria com Moraes Moreira